text-align: center; color:$pagetitlecolor; border: 1px solid $bordercolor;

ESPECIALIDADE DE GATOS - Material de Estudo

07/01/2011.

 
INTRODUÇÃO:

          Os gatos domésticos são primos distantes de outros felinos guardam características em comum com os grandes felinos selvagens, como o caminhar silenciosa e delicadamente sobre as almofadas plantares, a técnica de caçar e as unhas retráteis, com exceção do Guepardo que tem as unhas e patas apropriadas para a corrida, chegando a alcançar 100 km por hora numa corrida de curta distância.
           Era proibida a saída dos gatos do Egito, mas o povo Fenício parece ter os levado em suas embarcações comerciais, para a Europa, por volta do ano 900 a.C., chegando à Itália antes da Era Cristã. 
Os romanos, quando invadiram e dominaram o Egito, adotaram o culto a Deusa Bast e seus gatos foram também perpetuados em estátuas, murais e mosaicos. Tinham grande apreciação pelos gatos, e os retratavam como símbolo de liberdade.
           Com as invasões Romanas, os gatos foram seguindo seus exércitos e se introduzindo em toda a Europa.
Dessa forma os gatos chegaram à Inglaterra, portanto, o gato inglês tem como base o gato egípcio, mas gatos ingleses selvagens também foram domesticados.
O Príncipe de Gales promulgou no século X, leis protegendo os gatos, estabelecendo valores de venda e garantias de compra. Além disso, a pena para quem matasse um gato era paga com trigo: o gato morto era segurado pela ponta da cauda e sobre ele era jogado o trigo, até encobrir a ponta da cauda. Os gatos, durante muito tempo, foram bem aceitos pelo homem como animais domésticos, por sua beleza e grande habilidade em caçar ratos. Exatamente por sua habilidade como caçador de ratos, no século XI auxiliava no combate a estes vetores, transmissores da Peste Bubônica.
            Na Idade Média, os gatos enfrentariam seus piores tempos. Surgiu um culto a uma deusa pagã - Freya - envolvendo gatos. Esse culto foi considerado heresia e membros desta seita eram punidos severamente com torturas e morte. Como os gatos faziam parte do culto, foram acusados de serem demoníacos principalmente os de cor preta. Isso custou à vida de milhares de gatos, que foram cruelmente perseguidos, capturados e jogados à fogueira, havendo a maior destruição de gatos de toda a história.
Uma pessoa que fosse vista ajudando um gato, principalmente gatos pretos, estava sujeita a ser denunciada como bruxa e a sofrer tortura e morte.
As pessoas acusadas de bruxaria e seus gatos eram logo responsabilizados por qualquer catástrofe que acontecesse.
Esta onda de perseguição criou diversas superstições que persistem até hoje, como: cruzar com gato preto causa azar. Felizmente este preconceito terminou e no século XIX o gato já era bem-visto.
           O índio norte-americano, não parece ter domesticado os felinos selvagens presentes no continente, como o lince, puma e ocelote. A domesticação de felinos só ocorreu quando os imigrantes europeus trouxeram gatos da Europa, para que ajudassem a combater os ratos e camundongos, tanto no campo quanto na cidade.

CLASSIFICAÇÃO DO GATO DOMÉSTICO
  •          CLASSE: Mamaria 
  •          ORDEM: Carnívora
  •          FAMÍLIA: Felídea
  •          NOME: Gato Doméstico NOME EM INGLÊS: Doméstic Cat. 
  •          NOME CIENTÍFICO: Felis Silvestris Catus

CARACTERÍSTICAS:
Os gatos pertencem à ordem carnívora, na qual o animal tem dentes cortantes e salientes, e consomem carne. Os gatos foram classificados pelos biólogos como carnívoros devido aos seus dentes, mas existem outras características comuns a todos os carnívoros como o corpo peludo e com garras nas patas.

FILO: CHORDATA
  • Os seus dentes: os caninos são em forma de punhal e os molares em forma de serra.
  • Quando o gato crava seus dentes caninos nas suas vítimas causa morte imediata.
  • Gatos têm 30 dentes, enquanto os cães possuem 42.
  • Os dentes de leite são substituídos pelos permanentes, por volta dos 7 meses de idade.




Os gatos possuem 5 dedos nas patas anteriores e 4 dedos nas posteriores. Eles são muito silenciosos.
Fazendo deles caçadores ainda melhores. Isto porque suas patas têm uma densa pelagem, abafando os ruídos que elas produzem contra o chão.
As suas unhas são retrateis (saem e entram em um orifício) e é usada para agarrar suas presas. Não tem calcanhar e caminham apoiados sobre os dedos.
Embora o homem seja muito maior do que o gato doméstico, o gato tem um número muito maior de ossos: 230, contra os 206 do homem. Muitos destes ossos estão localizados na cauda.

A CAUDA
         O gato tem comportamentos diferentes com a sua cauda, de acordo com o espécime ou raça. Mesmo assim, de maneira geral, as caudas nos dizem muito sobre como está o "humor" deles.
         Quando levantada mostra orgulho e contentamento do gato.
         Quando estendida e ereta, mostra que está espreitando um ataque.
         Enrolada diz que o gato está espantado ou aflito.
         E diferentemente dos cachorros, quando agita a cauda de um lado para o outro, pode demonstrar que o gato está bravo ou nervoso. 

EXPECTATIVA DE VIDA
Em cativeiro, os gatos vivem tipicamente entre 15 e 20 anos, mas o exemplar mais velho já registrado viveu até os 36 anos. Os gatos domésticos têm sua expectativa de vida aumentada quando não têm permissão para vagar pelas ruas, o que reduz o risco de ferimentos ocasionados por brigas e acidentes, bem como quando é castrado, o que também reduz o risco de incidência de câncer de testículos e ovários. Gatos selvagens vivendo em ambientes urbanos têm expectativa de vida de 2 anos ou menos.
PORTE
Os gatos geralmente pesam entre 2.5 e 7 kg, embora algum exemplar pudesse exceder 11 kg. Existem casos de gatos com 23 kg devido à superalimentação.

OS OLHOS DOS GATOS
Em proporção ao corpo, os gatos são os mamíferos que possuem os maiores olhos.

         Testes indicam que a visão noturna dos gatos é superior até mesmo dos humanos. Quando há muita luminosidade, a íris em formato de fenda fecham-se o máximo possível, para reduzir a quantidade de luz a atingir a retina, o que também resguarda a noção de profundidade.
         Os gatos têm, em média, campo visual estimado em 200°, contra 180° dos humanos, com sobreposição binocular mais estreita que a dos humanos. Como em muitos predadores, os olhos ficam posicionados na porção frontal da cabeça do animal, ampliando a noção de profundidade em detrimento da largura do campo de visão.
         Por serem muito sensíveis à luz, os olhos dos gatos possuem pupilas verticais. Quando totalmente abertas, ocupam uma área proporcionalmente maior do que a pupila do homem.
         No fundo do olho, o gato tem uma camada de células denominadas "tapetum lucidum". A luz, após absorção, é refletida por essas células de volta para a retina, para que seus receptores tenham uma segunda chance de captá-la. Isso aumenta a eficiência dos receptores da retina em cerca de 40%.

AUDIÇÃO
         Os seres humanos e os gatos têm limites similares de audição em baixa freqüência (com pequena vantagem para os humanos), mas os gatos têm muita vantagem na escala de alta freqüência,
         Onde superam até mesmo os cães.
         Os gatos podem precisar com margem de erro de 7.5 cm a localização de uma fonte sonora a um metro de distância.
         A audição dos gatos é muito mais sensível do que a dos homens e cães. Seus ouvidos afunilados canalizam e amplificam os sons como um megafone.
         Os gatos ouvem até 65 kHz (kilo hertz), enquanto que os homens ouvem até 20 kHz.
         Suas orelhas são protegidas por pêlos contra o pó e insetos que poderiam, eventualmente, entrar. Sua audição é muito sensível.

OLFATO
         Gatos de olhos azuis e brancos de pelagem, são geralmente surdos.
         Leva cerca de 2 semanas para o filhote ouvir bem e seus olhos abrem em média com 7 dias.
         O gato possui aproximadamente, 60 a 80 milhões de células olfatórias.
         O homem possui entre 5 a 20 milhões.
         Os gatos possuem um órgão olfatório especial no céu da boca, chamado: Órgão de Jacobson. É um analisador de odores e é por isso que às vezes vemos os gatos abrir a boca estranhamente (riso sardônico), quando sente odores fortes.
         O gato doméstico pode correr a uma velocidade de 50 km/h.

O BIGODE
O bigode dos gatos (também conhecido como “pêlos tácteis”) age como um detector de estímulos externos, fornecendo informações sobre as imediações onde o animal está. É através dele que se manifesta o olfato e o tato apurados do gato. Além disso, no escuro o bigode atua como um orientador espacial, prevenindo-o de eventuais acidentes. É por isso que o bigode ajuda o gato a sentir o ambiente em seu redor. Estes “pêlos faciais” também nos indicam o humor do gato.
EXEMPLO:
  •          Quando um gato está bravo ou na defensiva, o bigode fica para trás;
  •          Quando o gato está feliz, curioso ou contente, o bigode fica mais relaxado e para frente.
  •          O gato possui um total de 24 bigodes, agrupados de 4 em 4. Seus bigodes são usados para medir distâncias.
 RAÇAS DOMESTICAS:
SIAMÊS
Pêlos cor de avelã, mais ou menos claro, as orelhas, a calda e a ponta das patas são mais escuras;
Uma das primeiras raças a chegar ao Brasil, de enorme popularidade, cativa pelos seus belos olhos azuis, tipo exótico e natureza amável.

PERSA
De temperamento calmo, corpo robusto, pelagem longa,  focinho achatado e cauda curta. Pode ser facilmente reconhecido entre as demais raças. 
É a raça preferida no mundo tudo e a mais geneticamente alterada pelo homem.





MAINE COON
Sua natureza amável, docilidade e inteligência são bem reconhecidas. 
Dão-se bem com crianças e cães. Gostam da companhia humana.



BOBTAIL JAPONÊS 
São ativos, inteligentes e "faladores", adoram a  companhia humana e gostam de andar no ombro dos donos. Não se estressam com facilidade, tolerando bem via Jens, exposições e se dão bem com outros animais e crianças.










 RAÇAS SELVAGENS:


Tigre - Ásia

Puma - Americas

Pantera-Negra - Ásia

Lince - África

Leão - África

Jaguatirica - America do Sul

Guepardo - África

Gato maracujá - Américas

Gato do Mato - Américas

Caracal - Ásia


A HISTÓRIA DE ANDROCLES E O LEÃO

Conta-se antigamente, nos tempos do domínio Romano, que existia um escravo fugitivo chamado Androcles. Quando perseguido se escondeu em uma caverna.
De repente ouviu um rugido assustador e se deu conta que ao seu lado estava um grande leão. Androcles percebeu que sua pata estava inchada devida uma lasca de madeira que tinha ali enfiado. Androcles chegou perto do felino e tirou a farpa.
O alívio do felídeo fez com que ficasse muito amigo de Androcles.
Certa manhã, Androcles resolveu voltar a Roma. Pouco tempo depois foi aprisionado e sua pena era servir de espetáculo nas festas do Coliseu Romano, cujas pessoas eram comidas por feras famintas.
Quando Androcles estava no meio do Coliseu, soltaram a fera, e para surpresa de todos, ao invés de atacar o escravo, este se colocou aos pés de Androcles e começou a brincar com ele.
Então Androcles percebeu que o leão era aquele que ele tinha encontrado na caverna e que se tornara amigo. Androcles e o Leão foram poupados e soltos.

PASSAGENS BIBLICAS
Sansão mata um Leão. (Juízes 14:5 e 6)

Desceu, pois, Sansão com seu pai e com sua mãe a Timnate. E, chegando ele às vinhas de Timnate, um leão novo, rugindo, saiu-lhe ao encontro. Então o Espírito do Senhor se apossou dele, de modo que ele, sem ter coisa alguma na mão, despedaçou o leão como se fosse um cabrito. E não disse nem a seu pai nem a sua mãe o que tinha feito.

Davi mata um Leão. (I Samuel 17:34)

Então disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai, e sempre que vinha um leão, ou um urso, e tomava um cordeiro do rebanho, eu saía após ele, e o matava, e lho arrancava da boca; levantando-se ele contra mim, segurava-o pela queixada, e o feria e matava.

Justo comparado ao Leão (Provérbios 28:1)

 Fogem os ímpios, sem que ninguém os persiga; mas os justos são ousados como o leão.

A Nova Terra (Isaías 65:25)

O lobo e o cordeiro juntos se apascentarão, o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o Senhor.

Daniel é jogado na cova dos Leões. (Daniel 6: 1-24)

 ...Então o rei ordenou que trouxessem a Daniel, e lançaram-no na cova dos leões. E, falando o rei, disse a Daniel: “O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará”.
E foi trazida uma pedra e posta sobre a boca da cova; e o rei a selou com o seu anel e com o anel dos seus senhores, para que não se mudasse a sentença acerca de Daniel.
Então o rei se dirigiu para o seu palácio, e passou a noite em jejum, e não deixou trazer à sua presença instrumentos de música; e fugiu dele o sono.
Pela manhã, ao romper do dia, levantou-se o rei, e foi com pressa à cova dos leões. E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: “Daniel, servo do Deus vive, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?”
Então Daniel falou ao rei: “Ó rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum”.
Então o rei muito se alegrou em si mesmo, e mandou tirar a Daniel da cova. Assim foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus...

Comentários:

Postar um comentário

COMENTEM!!